ARTISTAS URUGUAIOS OFERECEM AO MUNDO SUA EXCELENTE PRODUçãO

Fecha de publicación: 11/05/2020

Os criadores enfrentam com criatividade as conseqüências do isolamento social.

A chegada da COVID-19 teve um forte impacto no setor cultural mundial devido à suspensão dos eventos presenciais, porém, o confinamento em casas também aumentou o consumo de conteúdos destinados ao entretenimento. A capacidade dos artistas uruguaios de ver oportunidades nas dificuldades os levou a criar novas propostas e a oferecer ao mundo os destaques de sua produção.


Audiovisual

Passar mais tempo em casa e consumir mais conteúdo audiovisual se tornou uma realidade para muitas pessoas ao redor do mundo. Por esta razão, criadores e cineastas nacionais decidiram dar acesso a um catálogo online com o melhor do cinema nacional.

Para promover o consumo da produção audiovisual nacional, o Escritório Nacional de Cinema e Audiovisual (ICAU), a Associação de Produtores e Diretores de Cinema do Uruguai (Asoprod), o Ministério da Educação e Cultura, a empresa estatal de telecomunicações Antel e o Departamento Audiovisual da Prefeitura de Montevidéu oferecem mais de 100 filmes, curta-metragens, séries e documentários uruguaios disponíveis gratuitamente na plataforma Vera TV.

Música

O isolamento implicou a suspensão indefinida de shows musicais, aulas e oficinas e gerou um impacto negativo na renda dos artistas, que no total somam cerca de 10.000 pessoas no país latino-americano. Foi neste contexto que nasceu a campanha #SuenaUruguay, uma iniciativa que busca promover o consumo da música uruguaia.

A campanha consiste na criação de playlists disponíveis na plataforma Spotify, na qual músicos e bandas nacionais oferecem uma seleção pessoal de suas músicas favoritas uruguaias.

O diretor da gravadora Bizarro, Andrés Sanabria, iniciou esta proposta que busca entreter e aumentar a renda que os músicos recebem a cada reprodução completa de suas músicas em plataformas digitais. Suena Uruguay foi uma tendência no twitter e suas listas podem ser encontradas no Spotify.

Literatura, artes visuais e performativas

A Diretoria Nacional de Cultura do Ministério da Educação e Cultura (MEC) financia 500 aulas virtuais graças ao Fundo de Solidariedade Cultural "Rúben Melogno". Foram 674 inscrições de professores, líderes de oficinas e especialistas em diversas áreas artísticas de todo o país, das quais foram selecionadas 15 propostas de letras, 25 de música, 25 de artes visuais e 35 de artes cênicas.

Durante dez meses, a partir de junho, 100 cursos e workshops gratuitos serão publicados na plataforma CulturaenCasa.uy. Haverá oficinas literárias, cursos de música sobre técnicas de improvisação e performance, cursos e oficinas de artes visuais, desenho, fotografia, arte urbana e treinamento em artes cênicas, circo, dança, performance e práticas teatrais. Outra iniciativa semelhante foi realizada pela Agência Nacional de Pesquisa e Inovação (ANII) e pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que destinou UYU 3.882.477 para apoiar 20 projetos nos campos da música, audiovisual, jornalismo, editorial, artes cênicas e design. O objetivo é conscientizar sobre a importância de prevenir a COVID-19, proporcionar entretenimento para as famílias em momentos de confinamento e tornar a convivência mais agradável.

De 140 candidaturas, foram selecionados 20 projetos representando diferentes áreas artísticas. Série, concertos, grupos de discussão, jogos, festivais de música, mini-séries sobre cozinha saudável, contadores de histórias, tutoriais para criar jogos são alguns dos projetos que estarão disponíveis nos primeiros dias de maio. Saiba mais sobre este projeto aqui.

Palabras clave:

  • partilhar