COMEçOU UMA NOVA EDIçãO DO URUGUAY BEST PRACTICES IN PHARMA SUPPLY CHAIN

Fecha de publicación: 07/12/2020

O maior evento do setor na região apresenta um ciclo de webinars com referências internacionais da indústria farmacêutica.

A terceira edição do Uruguay Best Practices in Pharma Supply Chain, o evento de referência da indústria farmacêutica na região, começou no último dia 2 de dezembro com o webinar "The evolution of direct-to-patient logistics": Benefícios, desafios e uma nova normalidade". O ciclo, que terá vários dias de intercâmbio com referências do setor, é organizado pelo grupo Pharma Hub, integrado por empresas e representantes do governo, entre os quais está o Uruguai XXI.

Esta primeira reunião contou com a presença do Diretor Sênior de Logística Centrada no Paciente da World Courier, Mike Sweeney, e do Diretor de Soluções em Cadeia Fria da DHL para a América Latina, Arlete Gago.

A abertura foi liderada pelo Diretor Executivo do Uruguai XXI, Jaime Miller, e pela Gerente de Logística Internacional da AstraZeneca no Uruguai, Alejandra Silveira.

Miller fez referência ao caráter estratégico do setor de logística farmacêutica no Uruguai, e destacou que o país tem "uma proposta de valor diferencial" para esta indústria. Neste sentido, ele ressaltou: "O Uruguai é reconhecido por sua estabilidade e confiança em suas instituições, que são os pilares das operações das empresas instaladas no Uruguai". Ele também destacou a importância do marco legal e dos incentivos específicos do setor, como a Lei de Zona Franca e o Regime de Portos e Aeroportos Livres. "Todos estes incentivos são políticas de Estado, que não mudam com os processos de mudança de governo", ressaltou.

Por sua vez, Silveira referiu-se à situação do setor na situação atual e destacou como "é benéfico compartilhar experiências com os colegas" para enfrentar desafios comuns. "Em nível global, todos nós fomos forçados a nos unir, a dialogar, a colocar em prática a famosa resiliência", disse ela.

Em outra ordem, a executiva se referiu ao caso da empresa alemã va-Q-tec, que fará de seu centro no Uruguai o centro logístico para o fornecimento de recipientes térmicos e a distribuição internacional de uma vacina contra o coronavírus. Silveira descreveu esta notícia como uma "conquista" e destacou "o espírito de colaboração e apoio" entre as empresas do setor e as organizações governamentais no Uruguai.

COVID-19 e os desafios da logística farmacêutica

O representante do World Courier Mike Sweeney falou sobre "A Evolução da Logística Direta ao Paciente": Benefícios, Desafios e um Novo Normal", e se referiu às transformações ocorridas com a pandemia, que forçaram a indústria farmacêutica a repensar suas melhores práticas para enfrentar novos desafios. Ele também destacou o crescimento significativo na demanda por serviços diretos ao paciente.

"Estamos todos pensando em como fazer as coisas de forma diferente e melhor (...) O foco do cliente inclui experiência, confiança, parceria e mitigação de riscos", disse ele.

A logística direta ao paciente envolve "ter a casa do paciente no meio da cadeia de fornecimento, em vez de ter um hospital", explicou ele. Esta modalidade exige que "o pessoal seja totalmente treinado, assegurando que os dados (do paciente) sejam seguros e privados", disse ele.

Em termos de novas tendências no setor, Sweeney destacou que "há um maior interesse do cliente e uma cadeia de fornecimento com inovação e concorrência", e também enfatizou a necessidade de simplificar e padronizar os processos.

Uma menção especial foi dada ao projeto de inovação de serviços da World Courier no Uruguai, do qual a entrega de medicamentos para toda a região será centralizada.

"Trabalhamos através da Zona Franca e de uma fabulosa instalação aeroportuária no Uruguai, única na região, onde contratamos um terceiro como parceiro e com isso conseguimos chegar a um transporte regional porta-a-porta em toda a América Latina, onde as mercadorias podem entrar sem pagar taxas ou impostos de qualquer tipo", disse ele.

Arlete Gago, executiva da DHL, falou sobre "Como garantir cadeias de fornecimento estáveis para vacinas e produtos médicos durante a crise da COVID-19 e futuras emergências sanitárias". Neste contexto, o executivo compartilhou algumas conclusões do relatório elaborado pela empresa farmacêutica e consultora McKinsey & Company, que abordou os desafios para a gestão logística de vacinas e discutiu a importância da cooperação entre os governos e o setor privado.

Com relação às mudanças introduzidas pela situação de saúde, Gago apontou a mudança da logística de custos para uma logística focada na resiliência, que se concentra em responder a situações de emergência como esta.

A edição atual das Melhores Práticas em Cadeia de Fornecimento Farmacêutica do Uruguai terá uma próxima reunião em fevereiro de 2021, com um webinar sobre Metodologias Ágeis por Jeferson Assis, gerente lean de Excelência Operacional na Astrazeneca, Ana Miquelarena, gerente regional de Gestão de Talentos na Boehringer Ingelheim, e Florencia Lema, responsável pela Comunicação Regional e Desenvolvimento Organizacional na Roche. 

A edição atual do Uruguay Best Practices in Pharma Supply Chain terá uma próxima reunião em fevereiro de 2021, com um webinar sobre Metodologias Ágeis por Jeferson Assis, gerente lean de Excelência Operacional da Astrazeneca, Ana Miquelarena, gerente regional de Gestão de Talentos da Boehringer Ingelheim, e Florencia Lema, responsável pela Comunicação Regional e Desenvolvimento Organizacional da Roche. 

Para saber mais sobre a programação e o registro do webinar, clique aqui.  

Palabras clave:

  • partilhar