ESTUDO: EXPORTAçõES URUGUAIAS CONTINUARãO CRESCENDO EM 2018

Fecha de publicación: 28/01/2018

No Uruguai, as exportações de bens aumentaram 10% em 2017 em linha com os países da região. Para 2018 se espera que continuem o caminho do crescimento. As exportações uruguaias de bens cresceriam na ordem de 1,5% em 2018, devido à estabilidade nos preços dos commodities, melhores perspectivas na região e uma economia mundial que continuará crescendo a taxas moderadas, de acordo com as projeções elaboradas por Uruguay XXI no Estudo Perspectivas de Comércio Internacional.

No Uruguai, as exportações de bens aumentaram 10% em 2017 em linha com os países da região. Para 2018 se espera que continuem o caminho do crescimento. As exportações uruguaias de bens cresceriam na ordem de 1,5% em 2018, devido à estabilidade nos preços dos commodities, melhores perspectivas na região e uma economia mundial que continuará crescendo a taxas moderadas, de acordo com as projeções elaboradas por Uruguay XXI no Estudo Perspectivas de Comércio Internacional.

De acordo com os dados da Organização Mundial do Comércio (OMC), o comércio mundial de bens registrou um aumento de 3,6% em 2017. A organização prevê um crescimento de 3,2% para 2018. Essas projeções estão em linha com outros organismos internacionais como o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional que preveem uma leve ralentização no crescimento do comércio internacional para este ano.

As exportações da América Latina e o Caribe teriam crescido por volta de 13,1% em 2017.

Embora a maioria dos países da região registrou aumentos importantes, em geral não conseguem compensar as quedas registradas anos anteriores. Para 2018, as exportações de bens da América Latina cresceriam a um menor ritmo. O crescimento se explica fundamentalmente por maiores volumes exportados.

As exportações de bens uruguaios teriam um aumento de 1,5% em 2018. Em relação aos produtos, a carne vacuna liderará novamente as vendas externas de 2018 com montantes superiores aos US$ 1.500 milhões. O Banco Mundial prevê uma recuperação dos preços internacionais que incidiriam positivamente nos montantes exportados por Uruguai, enquanto as toneladas se manteriam estáveis.

A celulose será o segundo produto exportado em 2018 com exportações estimadas em US$ 1.400 milhões. O volume exportado irá se manter praticamente sem variações, com uma produção aproximada de 1,3 milhões de toneladas ao ano por parte de cada planta.

O terceiro lugar no ranking de produtos exportados seria ocupado pela soja, embora se espera que 2018 seja um ano de retração das exportações. De qualquer modo, o total exportado de soja se situaria em níveis próximos aos US$ 1.000 milhões.

Apesar de que a economia da China se desacelerará levemente em 2018, irá se manter como o principal destino para as exportações uruguaias. O crescimento desse mercado nas últimas duas décadas modificou a dinâmica mundial do comércio e no Uruguai a influência foi especialmente importante desde 2008. Atualmente, é destino dos três principais produtos de exportação do país.

Em 2017, a economia do Brasil - segundo sócio comercial do Uruguai - conseguiu sair de uma profunda recessão. Prevê-se que em 2018 continue transitando o caminho do crescimento, em níveis próximos a 2,1% de acordo com as últimas projeções relevadas.

Por sua parte, a Argentina, outro sócio relevante para o país, também retomou o crescimento em 2017 e se espera que em 2018 o nível de atividade aumente 3%, levemente por cima do ano anterior. Cabe lembrar que a Argentina é um sócio relevante não somente como destino das exportações de bens, mas fundamentalmente pelo turismo e por ser uma das principais origens do investimento.

As estimações indicam que a economia dos Estados Unidos cresceu a uma taxa de 2,2% em 2017, o que comportou uma aceleração em relação a 2016. Para 2018 o FMI estima um crescimento levemente superior (2,3%).

Por sua parte, na Zona Euro, o processo do Brexit incidirá nas relações comerciais entre o Reino Unido e a União Europeia e terá impacto sobre os fluxos de comércio mundiais. Apesar do contexto político, a situação econômica do bloco está demonstrando sinais de melhoramento.

As perspectivas econômicas regionais são as que gerariam um maior impulso do comércio do Uruguai em 2018. Da economia mundial, embora os sinais sejam mistos, a demanda cresceria moderadamente. Os preços dos commodities também cresceriam moderadamente contribuindo com um aumento das exportações na maioria dos setores exportáveis do país.

Ler o estudo completo

Palabras clave:

  • partilhar