URUGUAI ASCENDE POSIçõES E SE CONSOLIDA COMO UM LÍDER REGIONAL NO GOVERNO DIGITAL

Fecha de publicación: 07/08/2020

O país avançou 12 posições no índice elaborado pela ONU e ocupa o segundo lugar nas Américas, apenas atrás dos Estados Unidos.

O Uruguai subiu 12 posições no Índice Global de Governo Eletrônico (GDI) das Nações Unidas (ONU) 2020, de 34º para 26º lugar no mundo. Atualmente ocupa o segundo lugar nas Américas, somente atrás dos Estados Unidos e à frente do Canadá. Também ocupa a 29ª posição no Índice de Participação Digital (DPI) e tem a pontuação mais alta no Índice de Informação Governamental Aberta (OGDI).

O relatório do Governo Digital, que é publicado a cada dois anos, é uma referência e uma contribuição valiosa para os tomadores de decisão em todo o mundo. A medição pesa três dimensões: o Índice de Serviços Online (OSI), que mede a extensão e a qualidade desses serviços prestados pelo governo, o Índice de Infraestrutura Tecnológica (TII), que avalia o nível de desenvolvimento da infra-estrutura de telecomunicações, e o Índice de Capital Humano (HCI), que avalia itens como taxa de alfabetização e anos de escolaridade.

Em termos de pontuação geral, o Uruguai passou de 0,7858 em 2018 para 0,85 em 2020, consolidando seu lugar no grupo de nações com o maior desenvolvimento nesta área. O país está bem acima da pontuação média da região, que é de 0,6341.

Na situação atual, marcada pelas conseqüências sociais e econômicas da expansão da COVID-19, "os governos enfrentam desafios sem precedentes para responder às necessidades de seus países, o que testou as diferentes visões do governo digital", observa o relatório da ONU. Neste contexto, "a transformação digital é uma parte central da sustentação do desenvolvimento sustentável em muitos países", explica.

Participação digital e governo aberto

Dentro do relatório, o Índice de Participação Digital, coloca o Uruguai na 29ª posição, com 0,8571 pontos. O país está assim posicionado dentro do grupo mais desenvolvido, com uma porcentagem de uso que chega a 86,05%.

A participação digital é "um dos elementos-chave da governança e um dos pilares do desenvolvimento sustentável", na medida em que as TICs contribuem para o "envolvimento das pessoas na tomada de decisões, administração e prestação de serviços". Seu "valor intrínseco" está em seu potencial de construir "uma sociedade inclusiva através do engajamento dos cidadãos", salienta o relatório.

Neste sentido, o Uruguai demonstrou seu caráter vanguardista, sendo o primeiro país do mundo a implementar o Plano Ceibal (Programa Um Laptop por Criança), entre outras políticas públicas, que lhe permitiram universalizar o acesso à tecnologia e ao conhecimento, bem como reduzir significativamente a brecha digital, já que em dez anos a diferença de acesso entre as famílias mais pobres e mais ricas passou de 35% para 8%.

A terceira classificação do relatório é o Open Government Information Index (OGDI), no qual o Uruguai obtém a pontuação mais alta e é colocado no grupo de nações com o melhor desempenho.

O Uruguai é um dos países mais avançados em procedimentos digitais na América Latina, segundo o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). No relatório intitulado "O Fim do Processo Eterno", o país é tomado como exemplo pelas diferentes iniciativas e políticas implementadas para favorecer a transformação digital, uma visão que lhe rendeu "um crescimento sólido, sustentável e coerente de seu governo digital e levou a resultados sem precedentes na região", de acordo com o relatório.

Nesta linha, o país implementou a Agenda Digital do Uruguai 2020, que integra diferentes iniciativas para sustentar a transformação digital de forma inclusiva e sustentável, fazendo uso inteligente das tecnologias. Uma das metas do programa é que o país tenha 100% de seus procedimentos online até 2020, o que atualmente é de 84%.

Outra das iniciativas que respondem a esta estratégia é o Programa Salud.uy, destinado a promover o uso intensivo das TIC no setor da saúde, para melhorar a qualidade e a continuidade do atendimento aos cidadãos. Dentro desta estrutura, um grande número de projetos foi implantado, como o National Electronic Health Record, que permite unificar e disponibilizar todas as informações clínicas do usuário de saúde antes de um evento de assistência, entre outras ações.

Um destino atraente para as empresas de TI para expandir suas soluções globalmente

A moderna infra-estrutura tecnológica posiciona o Uruguai como o país mais avançado da América Latina no desenvolvimento das TICs. Graças a investimentos significativos, destaca-se por suas realizações nesta área: faz parte das Nações Digitais (as nações mais digitalizadas do mundo), tem o maior nível de penetração da Internet de banda larga na América Latina, a maior porcentagem de empresas e residências conectadas por fibra ótica, é líder na taxa de adoção das TIC e foi o primeiro país da região a iniciar a implantação da rede 5G.

Sua liderança na área, somada a sua estabilidade política e social, talento qualificado nas áreas STEM, um ecossistema tecnológico e empresarial coordenado e acessível, um marco regulatório favorável que promove a internacionalização das empresas de tecnologia, acesso a mercados e qualidade de vida, fazem dele um local atraente para as empresas de tecnologia expandirem suas soluções globalmente usando o país como plataforma.

Para ler o relatório completo da ONU, clique aqui.

Palabras clave:

  • partilhar