URUGUAI MELHORA NO ÍNDICE DE PERCEPçõES DE CORRUPçãO

Fecha de publicación: 26/01/2022

Segundo movimento global Transparência Internacional, o Uruguai melhorou o seu índice e posiciona-se como o país menos corrupto da América Latina.

Com uma pontuação de 73/100, o Uruguai lidera mais uma vez o Índice de Percepção da Corrupção (IPC) e está melhor posicionado do que em sua última medição anual. Desta vez, alcançou o primeiro lugar na América Latina e o 18º lugar no mundo. Destaca-se assim como um dos poucos países a ostentar um índice sem grandes flutuações ou declínios ao longo dos anos e mesmo com melhorias.

Dois terços dos países têm pontuação abaixo de 50, indicando graves problemas de corrupção, enquanto 27 países têm sua pontuação mais baixa de sempre. Esta tendência se deve em grande parte a diferentes formas de lidar com a pandemia COVID-19 e medidas em termos de movimentação e acesso a serviços essenciais.

Esta nova medida, juntamente com a recente classificação do Uruguai como o país latino-americano líder no índice de Estado de Direito do Projeto de Justiça Mundial e sua classificação no topo da democracia, melhor lugar para se viver, liberdades civis, mobilidade social, gestão de pandemias e governo eletrônico, reafirma o Uruguai como um destino sólido para investir, viver e trabalhar.

O Índice de Percepções de Corrupção (CPI) é o ranking de corrupção global mais amplamente utilizado no mundo. Conduzida desde 1995 pela organização Transparência Internacional, ela mede a percepção da corrupção no setor público em cada país, de acordo com especialistas e empresários.

A pontuação dada a cada país é uma combinação de pelo menos três fontes de dados extraídas de treze diferentes pesquisas e avaliações de corrupção. Estas fontes são compiladas por várias instituições de renome, incluindo o Banco Mundial e o Fórum Econômico Mundial.

O CPI deste ano revela que os níveis de corrupção estão em grande parte estagnados em todo o mundo. Ela classifica 180 países e territórios de acordo com seus níveis percebidos de corrupção no setor público, levando em conta cenários como suborno, desvio de fundos públicos, uso indevido de suas posições para ganho privado, burocracia excessiva, leis de transparência sobre as finanças de altos funcionários públicos, acesso a informações sobre ações governamentais e proteção legal para denunciantes. Os resultados são propostos em uma escala de 0 (muito corrupto) a 100 (muito limpo).

Acesse aqui o relatório completo sobre Transparência Internacional do Uruguai.

Palabras clave:

  • partilhar