URUGUAI, PIONEIRO NO CULTIVO E EXPORTAçãO DE CANÁBIS

Fecha de publicación: 16/11/2021

O país é um precursor na legislação da fábrica para as suas várias utilizações e desde 2013 que tem vindo a regular a produção, comercialização e consumo.

O Uruguai opera um importante fluxo de exportação de canábis. Em 2020, colocou aproximadamente 10 toneladas de flores e entre Janeiro e Julho de 2021 o crescimento continuou com sete toneladas de flores exportadas.

As licenças para operar no sector, concedidas e regulamentadas pelo Instituto Uruguaio de Regulação e Controlo de Canábis (IRCCA), estão divididas em dois grupos principais, para uso recreativo e medicinal. Estes, por sua vez, evoluem para outros usos e actividades, tais como a alimentação. O Uruguai é o único país, juntamente com o Canadá, que tem uma regulamentação nacional que abrange ambos os usos, o que favorece grandemente a sua exportação, uma vez que muitos países têm autorização para consumir, mas não para cultivar.

A nível farmacêutico, existem três linhas de medicamentos registados no Uruguai com diferentes apresentações, baseadas na CBD e vendidos sob prescrição profissional, com farmacovigilância adicional.

Em termos de geração de emprego, segundo dados do Ministério do Trabalho e Segurança Social (MTSS) e do Ministério da Pecuária, Agricultura e Pescas (MGAP), o pessoal directamente empregado pelo sector totalizava pouco mais de 1.070 trabalhadores em 2020, uma mão-de-obra que aumenta consideravelmente durante a época de colheita (transplante e colheita).

A média das diferentes fontes permite estimar um mercado total de 94 mil milhões de dólares até 2024, enquanto que, para o sector medicinal, a dimensão de mercado estimada é de 35 mil milhões de dólares até 2024.

Aceda aqui ao relatório completo

Palabras clave:

  • partilhar