A MULTINACIONAL RCI DESTACOU O ALTO NÍVEL DO PORTUGUêS COMO UM DOS DIFERENCIAIS DO URUGUAI

Fecha de publicación: 02/09/2020

O talento multilíngue, a tecnologia e o apoio institucional são outras vantagens comparativas do país, de acordo com os executivos da empresa.

Executivos da RCI América Latina destacaram o alto nível do português como um dos diferenciais dos recursos humanos disponíveis no Uruguai, bem como seu amplo domínio do inglês, aspectos chave na escolha do país como centro regional de serviços. Eles também elogiaram a infra-estrutura tecnológica avançada e o forte apoio governamental, que são fundamentais para a continuidade de suas operações durante a pandemia.

Estas declarações foram feitas durante o workshop "Lições aprendidas de uma operação de vendas altamente eficaz, dinâmica e de classe mundial na LATAM", organizado pelo Uruguai XXI em 28 de agosto no âmbito da Semana de Serviços Compartilhados & Outsourcing, um evento patrocinado pela SSON (Shared Service and Outsourcing Network), a maior comunidade mundial de serviços compartilhados e profissionais de terceirização.

O diretor executivo do Uruguai XXI, Jaime Miller, abriu o evento. "A RCI é uma empresa que temos o orgulho de receber no Uruguai há 15 anos. O sucesso alcançado é uma combinação de recursos humanos e tecnologia disponível no país", disse ele.

Da mesma forma, Miller qualificou como uma "conquista" a continuidade das operações das empresas de serviços globais durante a emergência sanitária. "O Uruguai ganhou notoriedade por seu tratamento bem sucedido da pandemia. A maioria das operações está ativa. A tecnologia tem ajudado muitas empresas a permanecerem operacionais desde o primeiro dia", disse ele.

Talentos multilíngues e clima de negócios

O diretor de operações da RCI América Latina, Andrés Natalevich, referiu-se à eleição do Uruguai como o centro regional da empresa, de onde atende 355 mil membros na América Latina em 19 países. "Queríamos um lugar onde o português, o espanhol e o inglês fossem falados a um bom nível. Precisávamos de um país que oferecesse os três idiomas em um só local", disse o executivo.

"Por causa de sua educação superior gratuita, muitos brasileiros vêm ao Uruguai para estudar (...) Há também muitas cidades na fronteira com o Brasil, de onde vêm jovens bilíngües nas duas línguas para estudar em Montevidéu. Aproveitamos essa situação e contratamos muitas pessoas com o português como língua materna", disse ele.

O clima comercial favorável do país e sua localização estratégica como plataforma regional para serviços globais foram outros pontos destacados pelo executivo. "O fato de haver tantas empresas com seus centros globais aqui cria uma atmosfera onde é possível compartilhar boas práticas", disse ele.

Infra-estrutura e flexibilidade, chave para enfrentar a COVID-19

Embora a RCI tivesse que transformar suas operações com a chegada do coronavírus, passando de um modelo de operações de vendas para um modelo de atendimento ao cliente, a empresa adaptou-se rapidamente ao sistema de trabalho remoto e em apenas cinco dias conseguiu transferir uma grande parte de seu pessoal para esta modalidade. Neste processo de sucesso, a infra-estrutura tecnológica avançada do país e a flexibilidade do governo diante das mudanças desempenharam um papel central.

"Quando a pandemia chegou, o governo decidiu suspender as restrições (que se aplicam ao regime de zona livre) ao trabalho remoto. Em cinco dias, eles elaboraram regulamentos que nos permitem trabalhar a partir de casa. Isso foi muito importante para nós, pois nos permitiu manter nossas operações ativas e nosso pessoal seguro", disse ele.

Por sua vez, a supervisora de operações da RCI para a América do Sul, Lourdes de Tavira, destacou a necessidade de adaptar o estilo de liderança da empresa e a oportunidade de treinar supervisores para fortalecer as equipes de trabalho.

"A enorme vantagem é que no Uruguai as empresas se beneficiam de um subsídio governamental que cobre parte do custo dos programas de treinamento. Então aproveitamos esta oportunidade para preparar nosso pessoal para esta situação (...) Isto nos deu um grande resultado, que é evidente na atitude dos funcionários e em seus esforços diários", disse ele.

Dada a estratégia bem sucedida de conter o vírus adotada pelo Uruguai, que permitiu conter o progresso da doença e moderar seus efeitos econômicos, a RCI está planejando um retorno parcial de seus funcionários ao escritório, que ocorrerá em outubro. "Como muitas empresas no mundo, tivemos que fazer muitas mudanças durante a pandemia. Mas realmente acreditamos que essas mudanças vão nos tornar melhores", disse de Tavira.

Palabras clave:

  • partilhar