URUGUAI, LÍDER REGIONAL EM INTELIGêNCIA ARTIFICIAL

Fecha de publicación: 28/04/2020

O país está em segundo lugar na América Latina em termos de preparação governamental para a inteligência artificial. 

O Uruguai é reconhecido como o segundo país da América Latina por sua preparação governamental para a inteligência artificial, de acordo com o Índice de Preparação Governamental para a Inteligência Artificial de 2019, desenvolvido pelo Oxford Insights International Development Research Centre (IDRC).

O ranking colocou o Uruguai em segundo lugar na América Latina - apenas abaixo do México - e em 35º lugar globalmente. O país recebeu nota 6.522/10, dentro de um ranking que aponta para os governos de 194 nações e que pesa quatro itens: governança, infraestrutura e informação, habilidades e educação e serviços públicos.

O indicador pretende refletir "a capacidade dos governos de explorar o poder inovador da inteligência artificial", diz o relatório da organização. A publicação aponta que, no momento, apenas dois países latino-americanos desenvolveram políticas e estratégias de inteligência artificial: México e Uruguai. Os governos de ambos os países "estão implementando inteligência artificial em suas operações e serviços, para melhorar a eficiência, economizar tempo e dinheiro e fornecer melhores serviços públicos", afirma o relatório.

Esta tecnologia "tem o poder de transformar a forma como os governos prestam serviços públicos". Por sua vez, pode melhorar muito a experiência dos cidadãos com o governo", detalha a publicação. A inteligência artificial também é um verdadeiro motor de desenvolvimento, pois espera-se que contribua com cerca de 15 trilhões de dólares para a economia global até 2030, diz o relatório.

Quanto à situação regional, a organização diz que a inteligência artificial pode contribuir para "melhorar a eficácia do governo, a transparência e revolucionar a economia". A implementação de políticas setoriais pelo México e Uruguai constitui "marcos para estruturar o uso da inteligência artificial no setor público, ao mesmo tempo em que orienta o investimento do setor privado" nessa área, diz o relatório.

Atualmente, existem três áreas principais de trabalho no Uruguai na área de Inteligência Artificial: Visão Computacional, Processamento de Linguagem Natural e Análise Preditiva. A área de Computer Vision está orientada ao desenvolvimento de sistemas de interpretação de imagem ou vídeo para extrair informações relevantes dos mesmos, enquanto que a área de Processamento de Linguagem Natural desenvolve modelos que permitem interpretar e extrair informações relevantes de textos escritos. Com a área de Predictive Analytics, os eventos futuros são previstos com base em eventos passados.

Os profissionais uruguaios, reconhecidos por sua capacidade, talento e versatilidade para se adaptar às novas tecnologias, contribuem para o desenvolvimento da inteligência artificial dos setores público e privado. O Uruguai tem um sistema coordenado de inovação, o que proporciona um marco favorável para a promoção desta indústria e faz do Uruguai um centro de pesquisa de referência mundial.

Do setor acadêmico, as principais universidades do país estão empenhadas em formar perfis de pesquisa na área de IA/Aprendizagem Automatizada. As empresas dSense, GeneXus, Globant, Mercado Libre e Tryolabs são algumas das empresas instaladas no Uruguai que desenvolvem ou aplicam Inteligência Artificial em seus processos. Saiba mais sobre eles aqui.

Para acessar o relatório elaborado pelo Oxford Insights International Development Research Centre (IDRC), acesse aqui.

Palabras clave:

  • partilhar